Taciana Valença

TACI EM VERSOS E PEDAÇOS.

Meu Diário
08/04/2009 14h09
FELICIDADE - lembrei dela ontem...
Felicidade
Fábio Jr
Composição: Umberto Tozzi

Um jeito, um gesto
Um golpe de ternura
E a vida volta logo pro lugar
Uma palavra é uma coisa dura
Só sentimento pode libertar...

O tempo faz o jogo
Dos desejos
Eu sei que você sabe
Esperar
O dia amanhecer
Por entre os dedos
E aí saber que o sonho
É bom demais...

Felicidade!
Brilha no ar
Como uma estrela
Que não está lá
É uma viagem
Doce magia
E uma ilusão
Que a gente não escolhe
Mas que espera viver
Um dia...

Felicidade!
Quando estou em sua
Companhia
Brilha no ar!
E nos seus olhos
Me deixou brilhar
Felicidade!
Eu vejo aquela estrela
Fantasia
Mesmo sabendo que ela não
Está lá...

Felicidade!
Brilha no ar
Como uma estrela
Que não está lá
Conto de fadas
História comum
Como se fosse
Uma gota d'água
Descobrindo
Que é o mar azul...

Felicidade!
Brilha no ar
Como uma estrela
Que não está lá
Conto de fadas
História comum
Como se fosse
Uma gota d'água
Descobrindo
Que é o mar azul
Descobrindo
Que é o mar azul...

Felicidade!

Para OUVIR:

http://www.youtube.com/watch?v=jqjVnWXv6xk

letras acima 

Publicado por TACIANA VALENÇA em 08/04/2009 às 14h09
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
08/04/2009 14h01
HOMENAGEM ACRÓSTICA - Sílvia Araújo Mota
TACIANA VALENÇA

Homenagem acróstica
Por Sílvia Araújo Motta
-
T-Taciana Valença, Recantista,
A-Autora de 1.110 textos virtuais,
C-Com 58.935 leituras é Poeta,
I-Irradia humanismo nas rimas...
A-Administradora de Empresa trabalha
N-Na Área de Publicidade.Mora
A-Atualmente em Recife, Pernambuco.
-
V-Valoriza os verdadeiros sentimentos!
A-Acadêmica Poçoense de Letras e Artes:
L-Lê, escreve e divulga Pensamentos
E-Especiais sobre a existência e o amor,
N-Na Prosa Poética, o Verde traz lição...
Ç-Contos, crônicas, haicais, poemas...
A-Amiga especial da Turma da natação.
                      Parabéns!
-
Belo Horizonte, 14 de fevereiro de 2009
---***---
Silvia Araujo Motta

Publicado por TACIANA VALENÇA em 08/04/2009 às 14h01
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
08/04/2009 13h43
AMO ESSA MÚSICA...
Quem de Nós Dois
Ana Carolina
Composição: Ana Carolina / Dudu Falcão / GianLuca Grignani / Massima Luca

Eu e você
Não é assim tão complicado
Não é difícil perceber...

Quem de nós dois
Vai dizer que é impossível
O amor acontecer...

Se eu disser
Que já nem sinto nada
Que a estrada sem você
É mais segura
Eu sei você vai rir da minha cara
Eu já conheço o teu sorriso
Leio o teu olhar
Teu sorriso é só disfarce
O que eu já nem preciso...

Sinto dizer que amo mesmo
Tá ruim prá disfarçar
Entre nós dois
Não cabe mais nenhum segredo
Além do que já combinamos

No vão das coisas que a gente disse
Não cabe mais sermos somente amigos
E quando eu falo que eu já nem quero
A frase fica pelo avesso
Meio na contra-mão
E quando finjo que esqueço
Eu não esqueci nada....

E cada vez que eu fujo, eu me aproximo mais
E te perder de vista assim é ruim demais
E é por isso que atravesso o teu futuro
E faço das lembranças um lugar seguro...
Não é que eu queira reviver nenhum passado
Nem revirar um sentimento revirado
Mas toda vez que eu procuro uma saída
Acabo entrando sem querer na tua vida

Eu procurei qualquer desculpa pra não te encarar
Pra não dizer de novo e sempre a mesma coisa
Falar só por falar
Que eu já não tô nem aí pra essa conversa
Que a história de nós dois não me interessa...
Se eu tento esconder meias verdades
Você conhece o meu sorriso
Lê o meu olhar
Meu sorriso é só disfarce
O que eu já nem preciso...

E cada vez que eu fujo, eu me aproximo mais
E te perder de vista assim é ruim demais
E é por isso que atravesso o teu futuro
E faço das lembranças um lugar seguro...
Não é que eu queira reviver nenhum passado
Nem revirar um sentimento revirado
Mas toda vez que eu procuro uma saída
Acabo entrando sem querer na tua vida

PARA OUVIR:

http://www.youtube.com/watch?v=FyzYsCitPy8


letras acima 

Publicado por TACIANA VALENÇA em 08/04/2009 às 13h43
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
05/04/2009 10h35
UMA HOMENAGEM DO POETA E AMIGO EDIL FRANCI


Atento aos teus escritos
Parabenizo-te pela arte
Acredito que o mais bonito
Vislumbra por toda parte
Cada texto traz um infinito
Entalhado feito encarte
Cara amiga, já és um mito

Avisto teus ensinamentos
Capturo sua belas mensagens
Alguns são puros pensamentos
Levados suaves pelos ventos
Introduzidos por lindas imagens
Iça as velas, navegaremos paisagens
Da tua alma fluem geniais momentos
*********************************

Taciana Valença ou Taci para os amigos e é assim que me dirijo a ela... pois, já contei muitas vezes e contarei sempre, foi ela quem me deu as boas-vindas ao RL, assinando o primeiro comentário que recebi... Ela sabe que trago-a no pensamento e no coração....
Do tipo de amigos que não nos cobram nada, e na incondicionalidade desta amizade permanecemos unidos pelas palavras que plantamos neste recanto e sempre colhemos os lindos frutos dos carinhos.... Taci, obrigado sempre!!!!!
Beijo com afeto e poesia
Edil Franci - SP - BRasil
Obs.: Fiz o acróstico usando a 2ª letra por causa do "Ç"...


Publicado por TACIANA VALENÇA em 05/04/2009 às 10h35
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
02/04/2009 22h24
FIDDY - dia 05 de abril no DOWNTOWN

ASSISTA FIDDY :

http://www.youtube.com/watch?v=AN-11CDhlMs

Fiddy

http://www.youtube.com/watch?v=_dBwwv2M9MU

3 Letras

Composição: Indisponível
Desde infante vovó dizia para não fazer estripulia
criado com vó ando todo engomadinho cabelo de lado,
ceroulas de bichinho.
no colégio mangam de mim, é um tormento tem que ter um fim
chego da escola e faço a lição, depois das sete não tem televisão

Escove os dentes meu netinho e não deixe pra depois
lave bem atrás da orelha..
vovó já tenho vinte e dois!

(Refrão)
páááááá parapapáááá parapáááá parapapááá

Se você rouba o pirulito da menina, zomba de aleijado,
gato morto lhe fascina
da quitanda rouba frutas, joga ovo em prostituta!

(Refrão)

Excremento turbulento me afeta no momento
um infame bocoió, foi parar no xilindró
eu fiquei malassombrado e comecei a estribuchar
foi um boy maleducado e a badalhoca a balançar.

(Refrão)

Doce Travessura

(Batata)
 
Você tem doces?
Eu insisto em perguntar
Eu sou treloso
E começo a traquinar

Um pirulito multicolorido
Em espiral você vai se dar mal

A travessura tá começando aqui
Aqui tem sangue, também tem chantilly

Eu nem sei mais como brincar com você
Eu nem sei mais como fazer você tremer

Crianças sujas breadas com açucar
Dedo melado, entao não me cutuca
Dia das bruxas na casa do vizinho
E com uma faca eu arranco seu pintinho

Um pirulito multicolorido
Em espiral você vai se dar mal

Quinca Badaló

 
Lá na Gameleira, na feira agitada
Quinca badalando e espantando a mulecada
Crianças vão correndo, zombando do idoso
Um velho engilhado perturbado e temeroso

Quinca Badaló tá chegando por aí!

Quinca Badaló bada bada badalou
Quinca Badaló era um velho que vivia nu

Mulheres apavoradas saindo das calçadas
A cidade em polvorosa quando se é avisada
"Quinca Badaló tá chegando por aí!"
as santinhas se escondem e as safadas a sorrir

Quinca Badaló bada bada badalou
Quinca Badaló era um velho que vivia nu

Não tenha medo, é inofensivo
Um velho insano, de olhar nocivo
Ninguém o prende, é um campeão
O velho Quinca e o seu badalão

Laço De Fita
Irei de encontro ao laço de fita
Falo por mim, formosa pepita
Enquanto ao lado esperas aflita,
Estarei chegando com o laço de fita

Escapo da relva estou chegare
Não te aflinjas ao me esperar
Com gosto e pressa eu venho de lá
Com gozo e garra eu vou te pegar
E pá pará papá pá

Quando eu encontrei o laço de fita
Botei na cabeça da minha pepita
Enquanto ao lado esperas aflita
Estou aprontando o laço de fita



FIDDY - dia 05 de abril/2009 no DOWNTOWN


Publicado por TACIANA VALENÇA em 02/04/2009 às 22h24
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Página 5 de 9 1 2 3 4 5 6 7 8 9 [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras