Taciana Valença

TACI EM VERSOS E PEDAÇOS.

Textos



Cedo ainda
Para acender as luzes;
Quero teto e chão
Mesmo que úmidos -
Comendo poeira

Deserto de areia
Escuridão sem risos
Suspiro enojado
Dessa desumanidade

Que lenta se afoga
Desesperança,
Lança que mata
Camadas de desalento

Tristezas empilhadas,
Roupas amarrotadas
Olhos de secas lágrimas
Essa covardia, que nem dorme, nem acorda

Haverá piedade?
Todos os frágeis ontens
Construindo o hoje
Esse desequilíbrio bastardo...

Algo em mim já nem é,
Nem mesmo se move
Atônita, ainda que viva
No casulo desse hoje que me intriga

(Taciana Valença)
TACIANA VALENÇA
Enviado por TACIANA VALENÇA em 22/07/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras