Taciana Valença

TACI EM VERSOS E PEDAÇOS.

Textos


 
Alheia sim… Já tantos dias…
Quanto menos olhos e ouvidos
Tanto menos da vida duvido,
Vida servida em fatias…
 
Quem dera o olhar distante,
Anos luz, quem sabe,
Onde restaria só saudade,
E nem mais constante
 
Se misturam tantas vozes,
Na minha não mais emoção,
Soltas enfim as mãos…
Em redemoinho de atrozes!
 
E nada há de ser para sempre
Tantas cores e formatos das gemas,
Que a vida enfim,  gema…
Libertação, grito ardente!
 
Não sou mais tanto,
Quando um dia fui,
Apenas réstia de luz,
Em dia d’algum santo
 
Morrer então
No infinito de mim,
De dor nem tanto assim
Para que não tenha sido em vão
 
 
(Taciana Valença)
TACIANA VALENÇA
Enviado por TACIANA VALENÇA em 04/08/2017
Alterado em 04/08/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras