Taciana Valença

TACI EM VERSOS E PEDAÇOS.

Textos



Deixei n'algum lugar o peito aberto,
Ah! Cabeça minha,
Largado à tudo que se avizinha,
Deixei entrar o sol, que nem era meu,
Os ventos da poesia alheia,
Sussurros curiosos rondando meu pulsar...
Bisbilhotando raras palavras,
Sentimentos nobres,
Almas pobres!
Mas vieram as ovelhas, seus pastores,
Os vendedores de alfenim,
Que nem sabia que existiam;
Estavam sobrevivendo de mim,
Do peito teimoso deixado aberto
Germinando alecrim!
Vai ver que precisava de tempero
Nos velhos e cansados poemas,
A bater em teclas que não se tocam -
Contudo, veio a bênção de Deus,
Em gritante silêncio,
Fechar o peito,
Que ainda era meu
(Taciana Valença)
TACIANA VALENÇA
Enviado por TACIANA VALENÇA em 31/08/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras