Taciana Valença

TACI EM VERSOS E PEDAÇOS.

Textos




Se ele, nascido Pessoa,
Nunca será nada,
Compactuo apenas os sonhos
Entre verões e invernadas.
Incógnita, tal ele, 
Entre tantas janelas do mundo.
Catando as estrelas que restam em meu céu,
Comungando dias sem escarcéu,
Deixando rastros na areia
Dos caminhos meus,
Eu, que já nem sei nada, 
Com certezas encostadas ao pé do violão,
Sigo letra de velha canção...
Sim, sou antiquada, sempre um pé atrás,
Morando num tempo que não me cabe,
Rasgando os véus d'uma saudade -
Onde li poemas escondidos,
Escritos às pressas sob a pena
Das mãos suadas, escorregadias,
Como amores que nem mais são,
Entulhando o vão que não se preenche,
Feito rio que transborda enchentes
A rolar pedras que se despedaçam,
Sou coração em pó desfeito,
Enche, seca, morre no leito
(Taciana Valença)
TACIANA VALENÇA
Enviado por TACIANA VALENÇA em 27/09/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras